Conecte-se conosco

Artigos

A alquimia dos preços

Publicado

em

precos

Todo mundo (bem, todo mundo com alguma curiosidade sobre como funciona o mundo, claro) já deve ter se perguntado sobre como os preços dos produtos são calculados. A resposta, na verdade, é razoavelmente simples: se eu espero vender X unidades, meu custo de fabricação dessas unidades é de Y e quero ter um lucro de Z %, então tenho que colocar um preço por unidade de (1 + Z%) * (Y / X). Só colocar isso numa calculadora e pronto. Claro que não entrei nos detalhes sobre como calcular X e Y, mas isso é outra história…

Para o preço de um jogo, o cálculo deve ser assim também, certo? Não, pequenos aprendizes de economista. Caso vocês ainda não tenham notado, os jogos para consoles curiosamente têm todos eles o mesmo preço de saída. As três grandes – Sony, Microsoft e Nintendo – definiram os preços dos jogos que saem para seus consoles. Assim, todos os lançamentos para PS3 e Xbox 360 saem por 60 dólares/euros, todos os jogos para Wii saem por 50, e todos os jogos para DS e PSP saem por 40.

Isso resulta curiosidade, porque o cálculo que fizemos lá em cima continua valendo. E claro, as regras básicas da matemática não mudam, por mais que o Kaz Hirai tente. Se temos o preço por unidade (que não muda), então X, Y e Z devem ser as variáveis.

Só que isso tampouco é algo tão simples. Os custos para fazer um jogo são cada vez são maiores. Só tem que botar na ponta do lápis todo mundo que tem que receber algum tostão no final:

– O vendedor (loja online ou física);
– O distribuidor (por exemplo, a EA para a série Rock Band);
– O editor (EA, Activision…);
– A softhouse (Harmonix, Rocksteady…);
– A porcentagem para o dono do hardware (Nintendo, Microsoft ou Sony);
– Fabricação (custo do disco, da impressão do manual, da caixa…);
– Royalties diversos (licenciamento da engine, dos personagens…).

Não tem muito de onde tirar. Então, ou o jogo vende horrores ou os desenvolvedores têm que se contentar com um lucro menor. No caso de uma EA ou Activision da vida, sempre existe mais margem de manobra, tanto pela capacidade de negociar melhores preços como a existência dos mega-blaster-sucessos para compensar os jogos que vendem mal. Mas um pequeno não tem tanta margem para manobrar…

E, para piorar, as três grandes empresas gostam de trapacear. Por exemplo, a Nintendo coloca seus jogos a um preço menor do que os outros (porque, afinal de contas, ela não tem que pagar nada para o dono do hardware). Mario Galaxy saiu por aqui, na Espanha, por 50 euros. Aí você via Mario Galaxy a 50 e Mario & Sonic ao lado, custando 60. Puxa, que dúvida, qual será que eu vou comprar?

Ah, então as três grandes fizeram tudo só para sacanear os pequenos desenvolvedores? Não. Elas fizeram isso também para sacanear a gente. Duvida? Então eu vou ilustrar minhas teses com um exemplo.

Eu entrei no site da Amazon UK e busquei os preços de todas as edições de FIFA 10. Escolhi esse jogo por ser um lançamento que está vendendo feito água, então os preços ainda não tiveram nenhuma queda. Ou melhor, tiveram (vejam na lista abaixo). O primeiro é o preço de tabela, o segundo é o preço real de venda na Amazon (preços em libras).

PS3 – 49,99 | 33,21
X360 – 49,99 | 32,80
Wii – 39,99 | 27,00
PC – 29,99 | 24,99

Não listei NDS, PSP e PS2 por serem irrelevantes para a comparação que vou fazer aqui. Primeiro, vamos analisar os preços de tabela. Notem o último; a versão PC tem preço de tabela a 30 libras, enquanto as versões PS3 e Xbox 360 têm um preço 66% maior, de 50 libras. E a versão Wii também tem o preço menor.

O que poderia justificar essa diferença entre versões com gráficos e jogabilidade similares? Apenas o fato da EA não ter que pagar royalties a ninguém no PC, já que não existe um “dono” da plataforma PC? Isso não justifica a diferença no Wii. Além disso, os custos de desenvolvimento são maiores – tanto no PC, onde é necessário testar as várias resoluções e efeitos de vídeo (anti-aliasing e assemelhados) que podem estar ativos ou não, bem como os diferentes esquemas de controle (teclado, joystick, mouse), quanto no Wii, que tem opções extras e onde é necessário testar o controle diferenciado com Wiimote. Pra piorar, a EA tem que manter toda a infra-estrutura de servidores e conexões para o online da versão PC (apesar de ter que pagar para manter isso na Live e na PSN também).

Qual poderia ser a desculpa? Vende mais barato pra contra-atacar a pirataria? Mas o Xbox 360 também tem pirataria, e o preço está lá em cima. E aí chegamos no ponto crucial. Notem os preços de venda real. A versão Xbox 360 está sendo vendida por 32,80 libras, uma redução no preço sugerido de mais de 30%. Mesmo a versão PC, que já tem o preço lá embaixo, tem uma redução de mais de 15%.

E ainda tem mais! Os preços de videogames na Europa foram fixados no início da vida útil dos consoles usando uma regra simples: pegamos o preço nos EUA, deixamos o mesmo número e trocamos a moeda pra euros. Depois, para a Inglaterra, fazemos o câmbio. Ou seja, para as companhias, a base de verificação é o preço em euros.

Quando os consoles foram lançados, o câmbio libra/euro era de 1,50 aproximadamente – por isso, jogos de 70 euros no continente têm um preço de 50 libras na Inglaterra. A mega-crise que atacou o mundo bateu especialmente forte na Inglaterra. Com isso, o câmbio libra/euro caiu para 1,10 aproximadamente.

Estranhamente, isso não foi motivo para que as companhias aumentassem os preços dos jogos no Reino Unido. Assim, os jogos que valiam mais de 60 euros ao câmbio antigo agora valem 55 – e isso pelo preço de tabela, pois se a gente for jogar o preço real de venda da versão Xbox 360, temos um preço de 36 euros, metade do preço no continente!

Como diabos isso é possível? A Nintendo ainda subiu o preço do Wii (do console) na Inglaterra para compensar a diferença do câmbio, mas fora isso todo mundo manteve exatamente a mesma política de preços. Fizeram isso para poder continuar vendendo? Claro, apesar de achar estranha uma política em que seja positivo vender com prejuízo continuado por meses e meses sem parar, sem nenhuma perspectiva de reversão do quadro a curto/médio prazo.

Qual é a conclusão lógica? Mesmo vendendo por um preço real 50% inferior, eles continuam lucrando. Ou seja, estamos falando de uma gordura no preço de mais de 50% do custo do produto. Um LUCRAÇO! com maiúsculas e ponto de exclamação.

E como eles conseguem fazer esse negócio da China? Graças aos consumidores, que pagam esse preço abusivo e fazem papel de palhaço nas mãos desses caras. Admito que vesti as calças do Arrelia com o Super Smash Bros. Brawl e a edição especial do The Beatles: Rock Band mas, fora isso, só compro jogo usado. Agora, com a diferença de preços entre Inglaterra e Europa, estou comprando mais jogo novo, mas isso é uma situação especial. Acho que todo mundo deveria fazer o mesmo no Brasil, só pra mostrar que os preços são abusivos. E não só por conta dos impostos, como todo mundo gosta de ladrar, mas também por culpa desses imprestáveis.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Clique para comentar
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade
0
Would love your thoughts, please comment.x