Conecte-se conosco

Artigos

Devolver BBQ: curtindo um churras com vários indies

Publicado

em

carrion

Segunda-feira é aquele típico dia recheado de dor e sofrimento, mas felizmente a Devolver Digital existe para quebrar velhas tradições como essa. Na última segunda (12) nossa amada publisher organizou um churrasco em São Paulo, onde eu (Guilherme Sommadossi) e nosso querido Renato Moura Jr. fomos representar o Gamerview e compartilhar da presença de amigos e colegas da imprensa e indústria de joguinhos.

Além da comida boa, eles também trouxeram vários títulos com seu selo pra gente curtir, dentre eles Metal Wolf Chaos XD, My Friend Pedro e dois que ainda nem foram lançados: Heave Ho e Carrion.

A primeira novidade que testamos foi Heave Ho, que já está quase aí, chegando em 29 de agosto. A premissa é bem simples: controlar um ser com formato de batata, braços compridos e mãos grandes pelo mapa, se pendurando e arremessando até alcançar o final da fase. Simples, né? Mas acredite, é mais fácil falar do que fazer.

Há mapas para se jogar com até quatro pessoas – as risadas e os palavrões estão definitivamente garantidos. A trilha sonora merece biscoito: toda aquela energia de selva, tambores e ritmo acelerado lembram bastante Ape Out, outra joinha rara da Devolver. No que pudemos testar, concluímos que ele não é um jogo tão simples e nem tão complicado de se jogar.

Tudo é baseado na sua agilidade em agarrar as paredes e se locomover de uma maneira doida e muito improvisada. No começo as mecânicas são difíceis de lidar, mas nada que algumas partidas não resolvam. Lá ainda tinhamos joysticks para jogar, mas a coisa fica bem mais complicada quando jogada pelo teclado, como você pode ver por si só baixando a demo disponível no Steam.

O sanguinário Carrion também passou por nós e, mesmo que seja um título meio gosmento e totalmente sádico, podemos dizer com tranquilidade: que delícia! Em partes, ele até é semelhante ao Heave Ho, pois suas mecânicas também se baseiam em se locomover, grudar nas coisas e interagir com itens usando seus tentáculos.

O pixel art é caprichado e rico em detalhes. É difícil cansar de olhar para aquela meleca vermelha que está chacinando geral, e o melhor: eles realmente não pouparam esforços em transmitir todo o medo e dor que aqueles cientistas e seguranças estão passando ao se deparar com nosso protagonista monstruoso. A sonoplastia também é digna de nota – dá para sentir aquela amoeba de tripas se contorcendo e os humanos sendo digeridos.

A movimentação é bem fluída, desde os espaços mais abertos até os mais estreitos. Para quem assistiu Stranger Things, o monstro é até parecido com as aberrações de Hawkins. Os obstáculos, desde as grades simples até os lasers que causam dano, também são bem posicionados nas fases.

A maior surpresa é que este aparentava ser um jogo que carecia de desafio, afinal a premissa não é ser a caça, mas sim o caçador. Felizmente os humanos também reagem e alguns trechos são bem amargos, o que vai exigir uma certa estratégia. Não basta só sair grudando nas coisas e matando gente de maneira contínua e sem o mínimo de esforço, tem que ser frio e calculista!

Esse não tem demo e nem data para chegar (só sabemos que será em meados de 2020), mas já aproveita e coloca ele na sua lista de desejos.

Essa foi a nossa noite de segunda-feira. Agradecemos a Devolver pelo convite, pela comida e pelos mimos e já estamos ansiosos pelo próximo. Se você não viu como foram os famosos eventos da Devolver nos anos anteriores, então é só vir conferir na nossa cobertura de 2018 e 2017. Nos vemos em 2020!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Clique para comentar
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade
0
Would love your thoughts, please comment.x