Conecte-se conosco

Artigos

Freakview #13: Tyrant, o ápice fatal e variações virais

Publicado

em

Imagem de fundo Freakview #13 Tyrants

Tyrants, o epítome de força, terror e violência da Umbrella Corporation. Assim que os vemos nos jogos da franquia Resident Evil, sabemos que o perigo é iminente. Estejam eles desarmados, ou carregando uma enorme bazuca consigo, as bio armas da Umbrella da série T, são marcantes em todos os títulos da série. No entanto, de onde teriam elas surgido? Em Resident Evil 1 não as vemos, e em Resident Evil 2 somos apresentados ao primeiro modelo das mesmas: o Mr. X.

Em breve Resident Evil 3 irá aterrizar na nova geração de consoles, trazendo um dos mais icônicos vilões do mundo dos jogos de horror, o Nemesis, para a atualidade. Para terminarmos a série de artigos de Resident Evil iremos focar no que torna os Tyrants tão diferentes dos outros zumbis e quais são as suas variantes.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Non est via ad me prohibere

A escadaria para o céu

Logo que o homem branco pôs os pés na África, seus olhos cresceram sob os tesouros escondidos e espalhados pelo imenso continente. Assim não poderia ser diferente no mundo de Resident Evil, onde com os achados ao longo da série, em especial em Resident Evil 5, descobrimos que todos as formas conhecidas dos vírus produzidos pela Umbrella se originaram de uma flor chamada de Starway of the Sun. Do mesmo modo como inúmeras tribos pelo mundo, a tribo dos Ndipaya tinha seus ritos de liderança e o deles estava relacionado a essa flor.

Igualmente ao povo indígena brasileiro Saterê-Mawé, a tribo Ndipaya tinha um rito relacionado à resistência do individuo. Ao se consumir uma flor, o guerreiro era exposto ao que seria chamado pelos fundadores da Umbrella de Vírus Progenitor. Este vírus iria expor o organismo do infectado a mudanças drásticas em sua psique e fisionomia; aumentando sua massa muscular, sua estatura e massa óssea. Isso é caso ele sobrevivesse, caso o corpo do jovem não resistisse, a morte seria o menor de seus problemas.

Imagem do Freakview #13

Deus como eu odeio essa parte do jogo!

Durante o século 19, Henry Travis escreveu extensos estudos sobre a curiosa planta em sua série de enciclopédias, além de muitas outras maravilhas. No entanto, a fim de manter seu monopólio, o irmão de Henry subornou a comunidade científica para que desmentissem tudo que Henry escreveu em sua enciclopédia, virando uma grande chacota dentro dessa comunidade. A organização de comércio Travis deixou a flor esquecida e só voltaria a se interessar anos após a morte dos irmãos. E qual seria o seu novo nome? Tricell Inc.

Por outro lado, Oswell E. Spencer, James Marcus e Edward Ashford já estavam de olho na planta, ainda mais com Spencer sendo um estudioso da enciclopédia de Travis. Definitivamente, Spencer desejava por suas mãos em amostras desta flor. Fascinado por genética e pela criação de uma raça superior, os três homens partiram em rumo ao continente. Assim que obtiveram a primeira amostra, os três se aprofundaram no aperfeiçoamento do vírus Progenitor e suas diferentes cepas.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Perfume Fatal…

Alfabeto mortal

Assim que descobriram que a planta possuía uma forma viral que alterava o RNA do indivíduo, os três tentaram retirar a planta do altar onde se encontrava, mas falharam. Assim descobriram que as flores podiam florescer em outros ambientes, mas sem a presença do vírus, o real objetivo. Logo resolveram manter alguns espécimes in vitro, a fim de simular o ambiente local, estas plantas foram armazenadas embaixo da mansão Spencer e assim o estudo do Tyrant vírus teve inicio.

O objetivo informado ao público era de que a empresa recém criada, a Umbrella Pharmaceuticals, estava em busca de uma cura para o Ebola. No entanto, o governo americano desejava uma maneira de transformar o vírus em uma arma. Com isto em mente, a produção da arma começou, de maneira que ao se misturar o Ebola e o vírus Progenitor, o novo vírus se infiltraria no genoma das células do hospedeiro, se propagando em velocidade absurda e o levando a óbito.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Ganancia no olhar de um homem louco

Logo o vírus se mostrou ineficaz, pois mesmo possuindo uma taxa de mortalidade de 100%, o mesmo matava a vitima rapidamente, sem chance de propagação. No entanto James Marcus notou que ao fundir o vírus com uma sangue suga, um novo efeito colateral surgia nas vitimas. As mesmas após a morte súbita sofreriam uma reanimação muscular, com baixa função cerebral e agressividade elevada e tendencias canibalísticas que propagariam o vírus. Neste momento o T-vírus havia nascido.

Danse Macabre

Com uma alta taxa de infecção o novo T-vírus se mostrou uma excelente arma. O vírus leva o individuo a óbito em questão de minutos e deixa apenas alguns sistemas do corpo funcionando, ou seja, alguns grupos musculares e o digestivo, assim explicando o porquê de muitos zumbis serem vistos sempre expelindo grandes quantidades de ácido gástrico em suas vitimas ou enquanto perambulam. Este acido em excesso é produzido pelo corpo do “morto-vivo” a fim de assimilar rapidamente qualquer matéria orgânica que seja absorvida por eles.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Horas de horror na mansão do inferno.

O vírus ainda utiliza o mesmo modus operandi da Rainha Sangue Suga em Resident Evil 0, onde simula os movimentos arcaicos da vítima em questão. A rainha sangue suga por ter tido contato direto com o cérebro de James pode agir como o mesmo e ainda se tornar uma versão mais nova do mesmo. Mas o T-vírus padrão se mostrou ineficiente neste segmento, tendo um foco maior em mutação do individuo no que é chamado de Ato V.

Alguns dos sintomas do mesmo são: a extrema função cardiovascular que pode fazer o indivíduo sangrar pelos olhos, narizes e ouvidos durante a infecção. Aumento abrupto das unhas e fortalecimento da queratina nesta área, criando grossas garras e afiamento da arcada dentária, criando um Crimson Head no processo. Além disto em casos extremos o indivídu pode ter além das garras e dentes afiado um aumento explosivo na extensão da língua, musculatura e da massa encefálica, virando assim um Licker.

Tyrants 05 gamerview

Licker atacando um T-013 em Resident Evil: Damnation.

No entanto, o vírus possuía ainda uma baixa letalidade e, a fim de se obter 100% de eficácia em apagar a população de um local, a Umbrella começou a pesquisa dos Hunters. Os Hunters são embriões humanos geneticamente modificados, nos quais a Umbrella fundiu diferentes genes animais utilizando o T-vírus, já que ele pode literalmente replicar qualquer célula. Mas o verdadeiro objetivo não eram os zumbis, Crimson Heads ou Hunters.  Marcus, além de todos os outros, desejava criar os armamentos perfeitos chamados Tyrants.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Um líder opressor e cruel.

Tirano Maximam

As unidades Tyrant ultrapassam as expectativas de qualquer outra B.O.W, sendo soldados imensos e praticamente indestrutíveis; mantendo uma baixa de sua sanidade, capacidade cognitiva e aceitação de ordens vindas daqueles que reconhecem como seus superiores. Então por quê não criar apenas Tyrants? A resposta está na origem do vírus em si, como na antiga tribo Ndipaya, na nossa sociedade apenas aqueles com uma sequência genética específica são capazes de se tornar um Tyrant, tal qual os guerreiros se tornavam líderes.

De acordo com os dados apresentados na série, a chance de uma pessoa nascer com tal código genético é de uma em cem milhões. Logo, poucos são os Tyrants originais que utilizam o T-vírus como base para sua mutação, tendo o vírus inserido primeiramente no cérebro da vítima. Mas ainda existem outras variantes, como Nemesis por exemplo, que fora criado a partir do parasita NE-α. Tanto os Tyrants quanto os zumbis normais da série se mostram extremamente resilientes em situações “reais”. Mostrando a eficácia letal dos infectados, até mesmo o mais básico deles necessita de cinco ou mais tiros na cabeça para morrer. Com os mais avançados sendo necessário armamento extremamente mais potente, sem contar nas outras mutações que eles podem sofrer.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Resistente feito uma praga.

Fugir ou se esconder em locais sem humanos também não é jogo, afinal, como podemos ver na série, toda a Arca de Noé é válida para o vírus. Aranhas, cães, cobras, escorpiões e outros entram no catalogo de criaturas infectadas, mas vamos recapitular e ver quais são os outros vírus presentes na série.

T-Vírus

O primeiro e mais conhecido dos vírus criados a partir do vírus Progenitor. Criado originalmente pelo co-fundador da Umbrella James Marcus, após fundir o vírus Progenitor com o DNA de sangue sugas. Desde sua concepção, o T-vírus foi a chave para a criação de inúmeros B.O.Ws, sendo os mais conhecidos os Tyrants e os Hunters. Sua habilidade mais notável é a de ser capaz de re-animar corpos mortos como zumbis canibais, capazes de transmitir e aumentar a contaminação do mesmo; além de ser o responsável pelo acidente na Mansão Spencer e o de Raccoon City.

Tyrants 08 gamerview

Uma língua afiada dessas bicho.

T-Veronica

Criado pela brilhante jovem Alexia Ashford, o T-Veronica foi criado após a manipulação do vírus Progenitor, e filamentos genéticos de plantas e formigas rainhas. O real objetivo da jovem cientista era o de desenvolver um vírus que permitiria ao infectado manter suas faculdades mentais após a infecção inicial, assim ele poderia utilizar todo o potencial do mesmo. Após a investigação de Chris e Claire, a mesma acaba se infectando com o vírus e se congelando afim de se adaptar a ele.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Velho senhor Ashford como Nosferatu

G-Virus

O mais famoso e o mais instável dos vírus iniciais. Essa mistura extremamente instável foi desenvolvida por William Birkin. O vírus foi descoberto quando Birkin fazia experimentos em Lisa Trevor, enquanto estava na Mansão Spencer nas montanhas Arkley. Após infectar a garota com inúmeras fontes virais e até mesmo o parasita NE-α, a garota acabou assimilando o mesmo e os diversos agentes virais em seu corpo, criando assim um poderoso e imprevisível vírus que criava e reposicionava tecidos orgânicos em uma velocidade aterradora. Isso explica frequentes mutações dos infectados pelo G-vírus.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Como não citar nosso querido amigo William?

T-Abyss

Surgido na série Revelations, o T-Abyss é um dos vírus que não possuem ligação direta com o Progenitor, mas sim o T-vírus. Criado a partir da fusão do T-vírus e de um vírus marítimo chamado de “Abyss”, este vírus foi desenvolvido pela equipe da Universidade Marinha de Montpiller, e os infectados apresentavam mutações semelhantes a de criaturas aquáticas de regiões abissais, dando assim seu nome. Este vírus foi usado durante o Panico de Terragrigia em 2004.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Com um aspecto realmente marítimo, os infectados pelo T-Abyss são aterradores

Uroboros

O mais mortal entre os vírus desenvolvidos a partir do vírus Progenitor. Criado pelo antigo lider dos S.T.A.R.S, cientista da Umbrella e agora terrorista, Albert Wesker. O vírus Uroboros tem como objetivo de forçar a evolução humana através da seleção natural, onde apenas uma pequena parte da população poderia sobreviver a infecção, ganhando assim habilidades sobre-humanas como as de Wesker em resident Evil 5 enquanto os outros não tão sortudos morreriam sem chance de luta. Wesker planejava espalhar o vírus na atmosfera terrestre, mas Chris e Sheeva o impedem.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Long Wesker is long.

T-Phobos

Uma variante do T-vírus criado por Albert Wesker, o T-Phobos possui propriedades similares ao t-Virus, com a diferença que ele é ativado somente quando o organismo do hospedeiro secretar altos níveis de adrenalina e norepinefrina. Assim que liberados, os hormônios entram em contato com o vírus dormente, causando sua propagação. Caso o infectado acabe tendo o vírus propagado por seu corpo sem que o mesmo consiga se adaptar, nasce um novo “aflito”, nome esse dado às vítimas do T-Phobos. Estes sendo divididos em três categorias:

  • Rotten – são os Afflicted já mortos, reanimados através de uma pequena porcentagem do T-Phobos ainda ativo. Como o corpo já foi bem deteriorado enquanto na forma de Afflicted, a aparência de um Rotten é igualada a de um zumbi: movimentação lenta, pele e músculos deteriorados.
  • Sploders – Caracterizada por aparições de tumores enormes na região do estomago do infectado, preenchidas por uma secreção de pus. Conforme o Sploder vai recebendo dano, os tumores se expandem até explodir. Os tumores também parecem ser fotossensíveis, o que faz com que a lanterna desencadeie uma reação explosiva em seus corpos.
  • Iron Heads – são os Aflitos que receberam implantes conforme as seções de torturas continuavam, obtendo mais força e o dobro de tamanho. Como o nome já diz, esses infectados tem como principal característica um capacete de metal costurados em sua cabeça.
Imagem do Freakview #13 Tyrants

Lembra um outro monstro famoso de um jogo que também tem 2 no título.

C-Virus

Conhecido como Chrysalid virus, ele foi desenvolvido pela viróloga Carla Radames ao misturar cepas do G-vírus com o T-vírus e o T-Veronica. Aqueles infectados por este vírus se transformavam em B.O.Ws conhecidas como “J’avo”. Os infectados passariam por mutações extremas em resposta a danos causados a eles. Os infectados pela versão gasosa do vírus se transformariam em zumbis “normais” semelhantes as vítimas do T-vírus, como pode ser visto em Resident Evil 6.

https://gamerview.uai.com.br/artigos/freakview-2-silent-hill-2-amor-odio-e-ego-no-caminho-da-redencao

Corona Vírus?

Tyrants e suas variações

Após todo o sucesso com o T-vírus e a descoberta da sua cultivação fora da África, ainda restava o problema de se encontrar candidatos compatíveis com o vírus e criação de Tyrants. Mas a sorte mais uma vez sorriu para os mercadores da morte, afinal um dos portadores de genes compatíveis com o vírus se encontrava nos altos rankings da Umbrella. Sergei Vladimir teve seu código genético mapeado e clonado, a fim de se produzir as criaturas em grande quantidades. Partimos assim para os Tyrants e seus diversos modelos.

T-001 ou Prototyrant

Uma verdadeira muralha bestial de ossos, músculos e garras deformes, com deformações ósseas visíveis por todo o comprimento de seu corpo, um coração inchado totalmente exposto junto de uma coluna vertebral totalmente a vista de inimigos. Mas, ainda assim, T-001 ainda é extremamente capaz de lidar com seus alvos, medindo em torno de 2,10 metros e com uma enorme garra semelhante a uma lamina se projetando de sua mão direita.

Fazendo sua primeira e única apresentação em Resident Evil 0. Mesmo com seus movimentos errôneos e cheios de espasmos, o Prototyrant é extremamente feroz e violento, com ataques capazes de lançar Rebecca metros de distância.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Uma visão realmente infernal.

T00 Tyran

O primeiro Tyrant a aparecer na série e o O.G de tais monstruosidades, recebendo melhorias em relação ao seu irmão/antecessor, com um coração menos exposto, musculatura um tanto quanto menos destorcida e ossatura totalmente encoberta por músculos e pele. Além disto, diferente do T001, este modelo não possui grande parte de sua musculatura coberta com tecido necrosado ou mandíbula totalmente deslocada.

Como o modelo anterior, este também demonstra uma grande força física e alto desempenho em destruir seus alvos, Desferindo poderosos ataques carregados, utilizando a massiva massa corporal que possui.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

A forma de vida perfeita… Estas deveriam ser as ultimas palavras de Wesker.

Hypnos-T e Thanatos-T

Assim como o Prototyrant, o Hypnostyrant é uma das versões primárias a serem introduzidas no universo de Resident Evil. Aparecendo no primeiro título da série Gun Survivor, títulos da série com um foco em primeira pessoa. A grande diferença deste Tyrant para os outros é a introdução do gene Hypnos em seu corpo, que permite que ele crie rapidamente células mais fortes para tomar o lugar das mais fracas. Em outras palavras, a criatura está em constante evolução, começando com uma forma humana, com longas garras e uma mão esquerda desforme.

Mas com o passar do tempo e do dano recebido a sua evolução atingira um estado semelhante ao dos outros, dando a criatura uma forma mais primal e violenta, arcada, com grande musculatura e velocidade. O seu coração a mostra é o seu ponto fraco principal.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Hypnos-T em toda sua glória pixelada

Já o modelo Thanatos-T foi criado a partir dos dados coletados nos primeiros modelos T-103. Semelhante a Hypnos, Thanatos também não possui um traje limitador. No entanto, ele já surge com seu inchado coração a mostra e duas longas mãos deformes, se mostrando uma criatura letal em Resident Evil: Outbreak.

Série T-100

Tal como a Skynet tem diversos modelos de Exterminadores, a Umbrella possui varias numerações e nomeações para suas armas bio-orgânicas de destruição. A série T-100 é a mais comum dos jogos e filmes da série Resident Evil, afinal é extremamente ferrenha na execução de seus deveres. Possuindo modelos diferentes, mutações e diferentes estágios, vamos ver cada um dos modelos diferentes que passaram pela série. Começando com o original e primeiro modelo a surgir na série, conhecido como Mr. X.

Mr. X ou T-103

Um Tyrant da série T-103, uma sub-série da série T-100. Mr. X foi enviado para Raccoon City de maneira secreta até mesmo dos agentes Black-Ops da Umbrella. Sua função é a de recuperar uma amostra do G-vírus e matar qualquer sobrevivente. Logo que chega a Raccoon City, Mr. X vai diretamente até a delegacia de polícia da cidade, a fim de acessar os túneis subterrâneos que o levaria até o laboratório da Umbrella. Assim que chega no local no entanto, descobre Leon e Claire dentro do local, dando incio a sua caçada.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Leon, aonde está o dinheiro que eu te emprestei?

Logo que vemos a nova versão do Tyrant é possível ver as grandes diferenças visuais do mesmo. Antes Mr. X vestia apenas seu traje de contenção e não possuía a Fedora, a maior hipótese do porquê dessa mudança estilística do personagem se dá pela “camuflagem urbana”. Aparentando ser um humano, talvez fosse mais fácil para Mr. X chamar a atenção de sobreviventes e assim os matar mais facilmente. No entanto, a maior mudança se dá no visual,  afinal os passos trovejantes e pesados, além de sua força descomunal se mantiveram intactas no remake.

Com força o suficiente para levantar um helicóptero, receber inúmeras balas mesmo sem seu pesado sobre-tudo ou traje de contenção, Mr. X se mostra uma verdadeira maquina de matar que facilmente pode atingir seus alvos de maneira fatal. Por outro lado, ainda é melhor que mesmo esteja no traje, afinal quando o traje é descartado, a mutação da série T-100 pode avançar ao próximo estágio. Criando longas garras e garantindo agilidade sobrenatural para a criatura, que se torna ainda mais letal.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Imagens que precedem acontecimentos ruins.

T-400 ou Tyrant R

Criado também durante a época dos eventos que levaria a destruição de Raccoon City, o T-400 é uma outra variante da série T-100. Com um modelo visual semelhante ao do Mr. X original da época do Playstation 1, este Tyrant é dotado de alta inteligência. Sendo praticamente autônomo no cumprimento de suas missões, além de ter sido criado como um sparring de outras criaturas da Umbrella. Assim que foi liberto de sua “encubadora” Tyrant R se mostrou extremamente poderoso, conseguindo lutar com até  três Hunters-R ao mesmo tempo.

Logo seus criadores acreditavam ter atingido o sucesso máximo com a nova criatura, poderoso e inteligente, Tyrant R seria uma revolução. Imediatamente eles são surpreendidos pelos golpes poderosos da criatura, que devido à grande inteligência podia facilmente rejeitar as ordens de seus criadores, escolhendo assim matar ambos. Juntamente com essas características, a criatura apresentava uma forma Super Tyrant, ainda mais poderosa do que a forma normal evoluída do Tyrant.

Tyrants T400 Tyrant R gamerview

Uma criatura em constante estado de agonia.

Da mesma forma como Mr. X, Tyrant R só consegue acessar está forma após ter se livrado de seu traje inibidor, após isto as células sofrem um estado acelerado e amplificado de mutação, dando a criatura uma corpo muito mais musculoso e rígido em relação a outros. Com suas longas garras e pele praticamente rochosa, esta monstruosidade se mostra um oponente formidável e tão rápido quanto os outros, independente de seu tamanho.

Ivans

Como dito anteriormente, Sergei Vladimir serviu de base genética para que os Tyrants pudessem vir a vida. Em troca disto, Sergei criou duas unidades próprias da série T-100, chamados de Ivans. Estas unidades diferentes das outras trajam um traje de contenção branco ao invés do tradicional traje preto. Além de possuírem uma espécie de visor, o qual nunca teve seu propósito realmente explicado, mas provavelmente seja apenas estético.

Estes dois Tyrants serviam apenas a Sergei e executavam todas e quaisquer ordens dele, até mesmo as mais simples. Mas mesmo sendo apenas duas unidades T-100, foram capazes de lutar contra Albert Wesker. Mesmo após Wesker ter despertado seus poderes adquiridos com o vírus recebido anos atrás.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Tal pai, tais filhos.

T-100 + NE-β

Durante os eventos de Raccoon City, mais de uma unidade T-100 foi enviada para a cidade. Todas elas tinham o objetivo de erradicar os sobreviventes do surto de mortos-vivos e recuperar o T-vírus, mas além de Mr.X e T-400, uma outra unidade se destaca. Sem um nome marcante como os outros, esta unidade T-103 foi atacada dentro dos laboratórios da Umbrella. Diferentemente de Nemesis, que fora do mundo dos manhuas, é uma unidade T-103 infectada com o parasita NE-α. Está unidade é atacada por inúmeras criaturas NE-β.

Como é de se esperar desta linha de Tyrants, após receber muito dano o próprio traje acaba sendo descartado e a criatura atinge um novo nível de mutação, assim preservando sua vida e ganhando uma nova chance de lutar. Logo, após ser infectado pelo NE-β, esta unidade T-103 adquire uma nova forma. Com longas pernas aracnídeas e uma força descomunal este novo Tyrant consegue se mover e agarrar coisas de maneira bem mais perigosa com suas longas patas traseiras.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Até mesmo um monstro pode sentir dor.

Bendersnatch e T-078

Do mesmo modo como o Prototyrant estas duas experiências da Umbrella se mostraram como passos em falso da empresa, aparecendo ambos em Resident Evil: Code Veronica, estas criaturas se mostram como versões inferiores das outras presentes neste texto e na série como um todo. Bandersnatch foi criado como uma alternativa para a Umbrella, um Tyrant de baixo custo que não possui a maquiagem genética de Sergei, se tornando deforme, mas ainda assim letal, usando seu longo braço que pode se esticar metros de distância para alcançar suas vítimas ou usando o mesmo para se puxar para perto delas.

Já o T-087 é uma versão semelhante a série T-100. No entanto, a sua massa muscular é bem menor do que a de seus irmãos, além de possuir apenas uma garra no braço esquerdo e o que se assemelha a um martelo na esquerda. Mas, mesmo assim, ele apresenta grande força física e não necessita de um traje de contenção, já que está sempre em sua forma totalmente evoluída. Mesmo sendo menor que a série T-100, o Tp078 se mostra um oponente formidável, além de ser capaz de segurar um míssil em sua direção.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

Como eu odiava esse Bendersnatch e odeio até hoje!

T.A.L.O.S

Tyrant Armored Lethal Organic System, aquele que foi considerado o ápice da bio-tecnologia da Umbrella Corporation. Criado também por Sergei, esta criatura usava o modelo T-100 como base, mas a diferença é que T.A.L.O.S possui uma forte armadura e um grande lança foguetes acoplado em seu ombro direito. A criatura, além disto, possui grande massa muscular e tem ligação direta com a Red Queen, inteligência artificial central da Umbrella Corporation.

Uma arma bio orgânica perfeita, letal, brutal e guiada por um computador. No entanto, esta fusão de componentes não foi o suficiente para deter Chris Redfield, que derrotou a criatura. Mas a mesma ainda conseguiu se transmutar uma última vez, prendendo sua coluna vertebral ao teto da sala, se tornando o mais diferente dos Tyrants jamais visto na série, com muito pouco do estilo Resident Evil e se assemelhando a algo mais Sci-Fi.

Tyrants T.A.L.O.02 Sgamerview

Além de feio, é fácil.

Morpheus Tyrant

Aparecendo no spin-off Resident Evil: Dead Aim, Morpheus Tyrant é diferente de tudo que já vimos ate agora. Antes de se tornar um Tyrant, Morpheus D. Duvall era um funcionário da Umbrella Corporation e o responsável pelo vazamento do T-vírus. Após isto, o mesmo se tornou um terrorista procurado, que acabou disseminando uma cepa do T-vírus no Spencer Rain em 2002, um cruzeiro privativo da Umbrella onde um leilão de armas teria lugar.

Após ameaçar China e EUA com um ataque viral, os países enviam os investigadores Fong Ling e Bruce McGivern para parar o terrorista. No entanto, Morpheus se infecta com uma mistura do T e G vírus, se tornando um Tyrant com um corpo feminino, longos braços além de manter capacidade de fala e cognitiva. Com o plano de eliminar a atual raça humana e criar uma raça bela como a si mesmo, Morpheus acredita que o vírus revelou sua verdadeira bela forma. Mas após receber danos o suficiente, a(o) bela(o) Tyrant também se torna uma massa desfigurada de músculo, pus e sangue.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

A beleza é superficial.

T-103 NE-α ou Nemesis

O mais conhecido monstro da franquia Resident Evil, Nemesis, o perseguidor. Nomeado como a deusa grega da vingança, Nemesis é uma criatura nascida da colaboração dos laboratórios americanos e europeus a fim de se criar a arma biológica perfeita. Nemesis pode usar armas e pensar de forma independente o suficiente para superar obstáculos a fim de completar sua missão. Lançado em Raccoon City durante a crise do T-Vírus, suas ordens são para assassinar todos os membros dos S.T.A.R.S sendo eles Jill Valentine, Brad Vickers, Chris Redfield, Barry Burton e Rebbeca Chambers e o traidor Albert Wesker.

Nemesis, além disto tudo, também possui um traje de contenção que mantém sua mutação controlada. Além de ser capaz de seguir ordens de seus superiores e falar, ainda que de forma rudimentar. Quando liberto de seu traje, a criatura sofre uma mutação que o deixa semelhante ao parasita NE-α, o que não agradou muito os fãs na época. No entanto, se prestarmos bem atenção durante a luta final entre Jill e Nemesis, há uma terceiro fator. No canto da sala há o corpo de um T-100 morto em sua super forma, então teria sido a fusão do corpo original de Nemesis, um T-103, mais o parasita NE-α e a carne consumida do T-100 que deram origem aquela forma final da criatura?

Imagem do Freakview #13 Tyrants

O remake trará respostas para a pergunta, assim espero.

Albert Wesker

Líder dos S.T.A.R.S e depois o terrorista mais procurado do mundo por organizações e a BSAA, Albert Wesker é o ápice da pesquisa dos Tyrant. Apadrinhado junto de outras crianças por Ozwell E. Spencer, o jovem Albert fez parte do projeto Wesker, aonde ele teria acesso a melhor educação e carreira possível. Um projeto criado por Spencer a fim de criar uma raça perfeita, livre de qualquer defeito humano que pudesse guiar a raça humana e os desejos doentios do velho. Todas as crianças selecionadas receberiam o sobrenome Wesker, nomeado pelo pesquisador-chefe da época na Umbrella.

Após concluir seus estudos e se destacar das outras crianças, Albert foi levado ao centro de Treinamento da Umbrella liderado por James Marcus. Lá James tentava estabilizar o T-vírus, mas a mando de Spencer, Albert e Birkin assassinam Marcus e são transferidos para as montanhas Arklay. Transferido para a S.T.A.R.S, Albert retornaria à mansão tempos depois com o desaparecimento do Bravo Team e os casos de canibalismo nas montanhas. Muito há pra se explicar sobre Albert Wesker, mas, dentro da mansão, para fingir sua morte o mesmo utiliza uma vacina criada por William Birkin. Acreditando ser um anestésico que fingiria sua morte, Wesker injeta em si a vacina, que na realidade é uma amostra do vírus Progenitor re-criado para seu corpo.

Imagem do Freakview #13 Tyrants

“Artesão” e “criação”.

Após anos de indas e vindas, tendo participação nos eventos de Code Veronica, Resident Evil 4 e Umbrella Chronicles, Wesker garantiu todas as amostras virais que necessitava. Se livrou de Sergei Vladmir, removeu T.A.L.O.S e a Red Queen de seu caminho. Assim que Spencer confessou tudo para ele anos depois em uma noite chuvosa em sua nova mansão, Wesker revelou sua verdadeira natureza, dizendo que ele seria o Deus do novo mundo.

O final de Wesker seria em um vulcão em atividade nos confins do continente americano. Seu corpo se assimilou perfeitamente com o vírus progenitor, aumentando as faculdade mentais de Wesker, força física e velocidade. Um verdadeiro semi-deus, mas ainda assim impotente perante a vontade ferrenha de Chris e Sheeva. Encurralado, Wesker acaba por se fundir ao vírus Uroboros.

Líderes ilegítimos

O projeto Tyrant encontrou seu fim com o final da Umbrella nos outros jogos, tendo Wesker como o grande ápice da pesquisa. Mas ainda assim são as criaturas mais marcantes da série, gerando modelos incríveis de bio-engenharia. Com seus corpos transmutados, os Tyrants são representações dignas dos grandes mitos da antiguidade: grandes seres titânicos, com força o suficiente para abrir paredes sólidas, levantar humanos com uma mão e mata-los como insetos.

Resident Evil 3 Remake está logo na curva, poucos dias nos separam de reviver a terceira grande experiência da série e uma das mais memoráveis para muitos, inclusive aquele que vos escreve, afinal foi meu primeiro Resident Evil. Agora nos resta esperar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

1 comentário
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gorogorogoro-chan
Gorogorogoro-chan
2 anos atrás

Que texto magnífico!!!

Publicidade
1
0
Would love your thoughts, please comment.x