Conecte-se conosco

Previews

Blade Assault traz ação frenética com dominação de elementos

Publicado

em

Blade Assault

Quando um jogo traz desafios, punições severas por errar e é difícil o tempo todo (não, não estou falando de Dark Souls), você aceita o desafio e vai pra cima ou desiste e fala “tá louco, isso não é pra mim”? Se você for o segundo caso, continue lendo nosso preview para ter uma ideia e depois jogue outra coisa, mas se você for dos que encaram, coloque Blade Assault em sua lista de prioridades.

Não é novidade que todo roguelike é difícil. Em sua página do Kickstarter, a TeamSuneat, desenvolvedora do jogo, diz que o jogo é um roguelite, que nada mais é que um roguelike mas só com algumas das características. Por outro lado, na página da Steam, o jogo é listado como um roguelike. Isso definitivamente não vai fazer o jogo ser menos difícil.

Robôs e neon, mas sem bugs

Muitos jogos do gênero seguem essa pegada 2D com gráficos em pixels e Blade Assault faz isso muito bem. O jogo tem uma ambientação cyberpunk (sem bugs aqui) e se passa numa cidade flutuante futurista chamada Esperanza. Após descobrirem um cristal vermelho valioso, guerras começaram a ser travadas e isso quase destruiu a Terra. Então a humanidade vive à beira do colapso sem recursos, governado por corruptos e assim vai. A premissa não é novidade e ela não se desenvolve muito, já que o acesso antecipado do jogo tem quatro cenários e não dá tempo para a história se desenrolar.

blade assault
Kil e Electra têm um relacionamento misterioso.

O que vemos no início é um dos protagonistas, Kil, fugindo de uma prisão com a ajuda de seu drone, quando acontece o tutorial. Depois de um diálogo em que fica claro que Kil é turrão e quer vingança, o protagonista é derrotado por Elektra, aparentemente braço direito de Panus, governante da região, e o protagonista acaba caindo onde a humanidade esquecida vive. Wasteland (ou terra desolada) é onde o acesso antecipado se passa. Pessoas com implantes robóticos e muito neon estão presentes na cidade em que você vai passar a maior parte do tempo até pegar as manhas do jogo (e é o hub principal no acesso antecipado).

Você terá duas ambientações com alguns NPCs para interagir. No Jazz Bar ficam três pessoas que serão personagens jogáveis no futuro. Por enquanto só é possível ver o que cada um tem para falar (nada importante). O dono do bar, Armstrong, é o responsável por aumentar seu nível de amizade com os outros NPCs que vou citar ainda. Caso você traga a moeda que ele pede (que só é possível adquirir derrotando chefes), ele consegue aumentar em três níveis as amizades, que irão resultar em descontos e itens melhores.

Jack é o cara que vai deixar você mais forte. É nele que você aumenta ataque, defesa, suporte e habilidade. Porém, no acesso antecipado, só é possível melhorar ataque e defesa. Na segunda tela fica o depósito de armas e o armeiro Hank. Ele melhora suas habilidades nas três armas que você pode usar: espada, machado e arma de fogo. Cada arma tem três melhorias passivas, que são desde ataque mais rápido, causar mais dano conforme você continua atacando, aumento de dano crítico e mais.

Blade Assault
Já vimos essa cena em algum lugar, não?

Para aumentar essas habilidades, você irá gastar três chips por vez. Esses chips não são fáceis de encontrar, então para melhorar essas habilidades passivas leva um tempo. Nessa mesma tela, fica a Hailey. Ela será responsável por melhorar seu drone, mas seu trabalho ainda não está disponível. No final dessa tela, você entra em uma cápsula a la Megaman e parte para a primeira fase/nível (ou run, como se costuma chamar nos jogos roguelike).

Ainda sobre NPCs e upgrades, entre alguns cenários da run, você vai encontrar mais alguns deles no Hotel Halona. O Tio Max é o cara que vai vender comida para você se recuperar no meio de sua run. Dependendo no seu nível de amizade com ele, comidas que recuperam mais estarão disponíveis. Ainda no hotel, você encontra o Rio, um hacker que consegue diminuir o nível de dificuldade dos cenários. Em uma cabine telefônica, é possível chamar a limousine voadora de Honk, um negociante ambulante que vai vender algumas habilidades para você continuar. Após vencer o primeiro chefe, você tem acesso à nave Autilus, onde é possível encontrar alguns NPCs já conhecidos além de Angela, que pode curá-lo por um valor.

Blade Assault
A nave Autilus aparece entre um cenário e outro, sendo possível repor a vida e fazer upgrades.

Kil, o Capitão Planeta do futuro sci-fi

Após entrar na primeira cápsula mencionada acima, você começa o primeira região e seus estágios. Por enquanto você terá ruínas, fábricas abandonadas, esgotos e cidade. Durante as fases, você terá objetos quebráveis. Quebre-os para conseguir cristal vermelho que são usados para comprar equipamentos em baús espalhados pelas fases. As fases não são geradas aleatoriamente, então depois de muitas tentativas, você decora e abusa um pouco, principalmente as primeiras que são mais fáceis.

Você vai enfrentar inimigos, chegar no final da fase, acionar um dispositivo e enfrentar ondas de inimigos para, então, prosseguir. Nesse momento você terá duas portas para escolher. Não são caminhos, mas sim núcleos elementais para escolher. Isso vai se repetir com as quatro regiões disponíveis no momento.

Blade Assault
O núcleo de raio é o meu favorito, ele consegue atingir inimigos distantes também.

Sobre as habilidades, aqui é onde Blade Assault demonstra potencial. Esse núcleos elementais estão separados entre fogo, raio e gelo. Cada elemento oferece várias habilidades e cada dessas habilidades podem ser reforçadas se quiser. Se preferir seguir um caminho de fogo, gelo ou raio, é possível. Porém é possível também misturar todos, se tornando o Capitão Planeta (pegou a referência aí?). Eu tentei várias configurações possíveis, e gostei mais de todo fogo ou todo raio. Dá para ficar muito apelão.

Além dessas habilidades elementais, os baús que mencionei dão equipamentos que aumentam diversos atributos em porcentagens diferentes. Aqui o céu é o limite, dá pra fazer uma infinidade de combinações. Sempre que abrir um baú desse ou terminar uma fase e escolher o elemento, você terá três escolhas e elas são de categorias normal, raro, heroica e lendária. Sem exagero, isso tudo que falei sobre habilidades e equipamentos geram dezenas, se não centenas de possibilidades de combinações.

Blade Assault
Esses status é do tipo “cê é o bichão memo”, até você ser obliterado por um chefe.

Os combates são super fluidos e os comandos respondem muito bem. É um jogo rápido, então você vai dar muitos dashes e pulos e atacar ao mesmo tempo, além de usar as habilidades especiais de cada arma. No momento são quatro regiões com quatro chefes, como mencionado antes, e eles são bem desafiadores. Se morrer, volta tudo! Para nossa sorte, alguns atributos que você melhora são permanentes e algumas moedas ficam com o jogador, então em algum momento você vai voltar bem mais forte e se vingar daquele chefe ou hordas de inimigos. Às vezes você vai se deparar com tantos inimigos, o que só é possível distinguir se você foi atingido, quando uma habilidade de defesa é ativada automaticamente e causa danos nos inimigos.

A variedade de inimigos em Blade Assault ainda é pequena. No começo são muitas ratazanas humanoides, depois sapos humanoides, então aranhas e plantas aparecem mais pra frente (normais, não humanóides). Os tipos são porradeiros, atiradores, os grandões bombados e os super ágeis. Ao morrerem, alguns entram em modo “berserk” por alguns segundos, atacando com tudo e invencíveis, já outros viram uma bomba relógio. Ao enfrentar todos os quatro chefes, você encerra o que está disponível até então e o jogo revela, através de uma cutscene, que tudo o que você fez não passou de uma simulação e foi uma preparação para se juntar à equipe de resistência contra o governo para começar a real batalha.

Blade Assault
Esse é o quarto do Kil. Se prepare para ver muito esse lugar.

Blade Assault tem tudo para dar certo. Os combates são divertidos e muito fluídos, a movimentação é rápida e dinâmica. As possibilidades de usar os elementos deixam o jogo bem interessante. Ele é punitivo, mas nem tanto, já que alguns upgrades permanecem com você. O jogo tem potencial para atrair veteranos do gênero e novatos.

Por enquanto em acesso antecipado exclusivo de PC através da Steam, Blade Assault tem previsão de lançamento para dezembro deste ano com versões para PlayStation e Nintendo Switch.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Clique para comentar
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x