Conecte-se conosco

Reviews

Review – Unworthy

Publicado

em

Imagem do jogo Unworthy

Unworthy foi lançado em meio à E3 e talvez por isso não se ouviu muito sobre esse jogo, mas é um título digno de sua atenção. Nele renascemos de nosso próprio túmulo e nos deparamos com um mundo totalmente hostil, repleto de criaturas que colocarão em prova a sua determinação, paciência e persistência. Com sua espada e escudo equipados, você deve atravessar esse mundo sombrio enquanto descobre novas habilidades para derrotar chefões e provar-se digno de estar vivo.

Os fãs dos jogos da From Software provavelmente vão curtir Unworthy, um jogo metroidvania brutal com combates semelhantes a Dark Souls, então também tenha certeza de que morrer é algo frequente durante o progresso. A estética é totalmente em pixel art, com belos cenários 2D quase monocromáticos, possuindo apenas alguns detalhes coloridos. Junto a isso temos uma trilha sonora misteriosa que demonstra toda a hostilidade do ambiente.

Sobreviva para apreciar belos cenários

De início, nos deparamos com menus bastante simples, também feitos em pixel art. No entanto, bastam alguns minutos de jogo para descobrir que, mesmo com sua arte simples, Unworthy possui diversos itens para serem descobertos, um mapa gigantesco para explorar, muitas habilidades para desbloquear e até mesmo um contador de mortes para preencher. A narrativa é apresentada de forma misteriosa: apenas sabemos que somos um guerreiro sem nome cuja vida foi tirada, porém de alguma maneira isso não foi digno e por isso ressuscitamos, agora vagando por um mundo arruinado em busca de respostas.

O interessante mesmo é explorar. Em todos ambientes há diversas criaturas que atiram flechas ou que tentam nos golpear com espadas, e para derrotá-las usamos golpes com nossa espada ou podemos nos esquivar rolando no chão. No entanto, o combate requer paciência e atenção, pois o uso incorreto dos movimentos pode causar sua morte rapidamente já que, assim que a barra de energia esvazia, ficamos incapazes de executar qualquer habilidade. Um outro detalhe é que não podemos fugir em momento algum, então aprenda a dominar o combate, que concede ‘pecados’ para desbloquear melhorias em suas habilidades.

Imagem do jogo Unworthy
O protagonista lembra o Loki, o que me deu coragem pra enfrentar todas as criaturas.

A exploração é tipicamente metroidvania: em alguns momentos somos impedidos de avançar seja pela falta de habilidades específicas ou por não possuir ‘pecados’ suficientes, obrigando-o retornar e prosseguir por outro lado à procura destes requisitos. O mapa te ajudará a se localizar, mostrando em qual sala você está e não sua posição exata, algo inicialmente confuso mas que é apenas uma questão de acostumar. Dificilmente você ficará perdido e muito provavelmente o que tomará seu tempo será o combate contra os diversos inimigos.

Em Unworthy, é essencial compreender o funcionamento do combate, os comandos e as armas. Como já foi dito, possuímos uma espada e um escudo e os golpes são executados apenas com um único comando do controle. Também é possível realizar combos fazendo sequências de comandos, pressionando três vezes rapidamente o botão de golpe ou pressionando e segurando o mesmo botão para um golpe mais pesado. Já o escudo é automático, porém limitado – na tela você pode verificar uma barra que demonstra a força do escudo, preenchida automaticamente com a barra de energia. Portanto, procure balancear seus golpes com esquivas e o uso do escudo para ter sucesso em seus combos.

Podemos equipar dois armamentos e alterná-los rapidamente através de um comando no controle, mas o que me deixou decepcionado é que, para trocar para um terceiro armamento ou consumir itens, é necessário acessar o menu do jogo, durante o qual o gameplay continua em funcionamento e, se você não for rápido o bastante, com certeza vai morrer. Nada disso ocorreria caso fosse possível alternar entre todos os equipamentos com o comando do controle e dedicar outros comandos para os consumíveis.

Imagem do jogo Unworthy
Algumas cenas são um tanto perturbadoras.

Há uma infinidade de inimigos e cada um ataca de maneiras diferentes, com animações bastante detalhadas. Aliás, os golpes do nosso guerreiro também são bastante diversificados conforme o armamento equipado, impressionando no nível de detalhamento e a fluidez das animações. Quanto aos cenários, são lindos e possuem também uma grande variedade, mas se você é do tipo que repara muito neste aspecto, perceberá que em alguns pontos a arte possui padrões repetitivos e por vezes causa uma sensação de estar perdido, questionando se já não passou por ali antes.

Pecados rendem melhorias

Durante a exploração dos cenários, os itens de cura ou de melhorias das habilidades são escassos, então use-os com sabedoria e fique atento aos pontos de salvamento que, além de gravar seu progresso, recuperam toda sua saúde. Além disso, derrotar os inimigos pode render alguns destes itens, além de uma quantidade de ‘pecados’ que servem para melhorar seus equipamentos. Porém caso ocorra o contrário e os inimigos derrotem você, seus ‘pecados’ serão perdidos e podem ser recuperados no local onde pereceu.

Algo que me incomodou e pode incomodar outros jogadores é que alguns cenários podem ser cruéis e ter pontos de salvamentos muito distantes, e mesmo após uns 20 minutos percorrendo salas não encontrei um único ponto de salvamento até que finalmente perdi a partida e, com ela, meus preciosos minutos de exploração e sabe-se lá quantos ‘pecados’. Nesse caso, eu carregava do último ponto salvo, pois assim não me preocupava com os ‘pecados’, mas isso não para o contador de mortes, que é independente dos pontos de salvamentos e continua contando a cada vez que você perecer.

Imagem do jogo Unworthy
Certos inimigos dão mais dor de cabeça que os próprios chefões.

Lutar contra os chefões proporciona momentos intensos, mesmo que cada um repita a mesma receita. Contudo, até aprender sobre isso, nos vemos desafiados a melhorar nossas habilidades e testar diferentes maneiras de atacar e, quando finalmente vencemos, são momentos gloriosos.

Caso sinta que as coisas andam muito difíceis, é possível retornar em algumas salas com inimigos mais fracos para derrotá-los e adquirir mais experiência, aumentando seu nível e por consequência a força dos seus golpes. O único problema é que esses inimigos podem aparecer todas as vezes que quisermos se voltarmos nestas salas, facilitando subir o nível do nosso personagem e deixando a progressão menos desafiadora. Outro problema é que Unworthy está totalmente em inglês, o que pode tornar difícil a compreensão para alguns jogadores.

Mesmo com esses pequenos problemas, Unworthy é um prato cheio para fãs de Dark Souls ou para aqueles que gostem de jogos metroidvania. Apesar da estética ser simples, tudo é rico em detalhes e as animações por muitas vezes vão encher seus olhos de beleza. Prepare-se para morrer… em pixel art.

selo gog

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Prós

  • Pixel art bastante detalhado
  • Gameplay desafiador
  • Cenários caprichados

Contras

  • A troca de equipamentos não é prática
  • Abrir o menu não pausa o jogo
  • Somente em inglês
Clique para comentar
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade
0
Would love your thoughts, please comment.x